Jedi Tux

Atualização do PostgreSQL para 9.2 – Arch Linux

Posted in Dicas, Servers by Fernando Basso on 28 de setembro de 2012

----------------------------------------------------
bash-4.2, vaio@nando, Fri Sep 28 07:37:53 
$PWD="~/"  
$ sudo rc.d start postgresql 
[sudo] password for nando: 
:: Starting PostgreSQL

[BUSY] pg_ctl: could not start server
               Examine the lot output

    vim /var/log/postgresql.log

FATAL:   database files are incompatible with server 6009
DETAIL:  The data directory was initialized by PostgreSQL version 9.1, which
is not compatible with this version 9.2.1.

-------------------------------------------------------------------------------
http://www.postgresql.org/docs/current/static/upgrading.html

NOTA: É possível fazer isso com a versão 9.2, mas como no meu caso eu nem consegui
inicializar o postgresql com ela, fiz com a 9.1 mesmo.

    sudo pacman -U /var/cache/pacman/pkg/postgresql-9.1.4-1-i686.pkg.tar.xz


Primeiro de tudo, salvar o banco de dados atual, com a versão 9.1 do postgresql
rodando:

    pg_dumpall > postgresql_backup_completo.sql

Mas aí teve algo errado, pois ele ficava peding a senha do usuário linha após
linha, e com
    pg_dumpall -U postgres ...

aconteceu a mesma coisa.

vim ~/.pgpass
localhost:5432:db_nando:nando:1234

Mas pra fazer o backup de tudo, temos que deixar o campo que especifica
a database com "*":
localhost:5432:*:nando:1234

http://www.postgresql.org/docs/9.2/static/libpq-pgpass.html
On Unix systems, the permissions on .pgpass must disallow any access to world
or group; achieve this by the command chmod 0600 ~/.pgpass. If the permissions
are less strict than this, the file will be ignored. On Microsoft Windows,
it is assumed that the file is stored in a directory that is secure, so no
special permissions check is made.


(08:29)  gciolli: Should ~/.pgpass allow my to just type psql and connect 
                     without any further iteration?
(08:31)  FernandoBasso: .pgpass only takes care of not having to type the 
                     password, all the other options are handled via environment 
                     variables like PGUSER, etc.

http://www.postgresql.org/docs/9.2/static/libpq-envars.html
Pode ser no bashrc.
export PGUSER=myFavouritePostgresUser
export PGDATABASE=db_nando

Agora já devemos estar podento digitar apenas "psql" pra logar sem
ter que especificar o password nem a database.

--------------------------- // ----------------------- // -----------------

Agora deve funcionar:
    pg_dumpall > postgressql_backup_completo_upgrade_para_9.2

    sudo rc.d stop postgresql (arch linux)

    cd /var/lib/postgres
    mv data bkp_data_9.1

    rc.d start postgresql
    rc.d stopt postgresql

    cp bkp_data_9.1/pg_hba.conf data/
    cp bkp_data_9.1/postgresql.conf data/


    vim data/pg_hba.conf

E seta
    host    all     all    127.0.0.1/32     md5
para
    host    all     all    127.0.0.1/32     trust

por que os passwords e usuários não vão funcionar mais.

    psql -U postgres


Criamos um usuário:

    CREATE ROLE admin WITH LOGIN PASSWORD 'admin' CREATEDB CREATEROLE; 
    ALTER USER admin VALID UNTIL 'infinity';

Colocamos uma senha para o superuser postgres:
    ALTER USER postgres WITH PASSWORD 'serect_passwd';

Recuperar os dados (deu alguns avisos aqui, mas funcionou tudo mesmo assim):

    psql -d postgres -f postgresql_backup_completo.sql

Coloca os 'trust' para 'md5' novamente no arquivo pg_hba.conf.

Reinicia o postgres e já deve estar tudo ok.


For further reading:

https://wiki.archlinux.org/index.php/PostgreSQL#Upgrading_PostgreSQL
http://www.postgresql.org/docs/current/static/upgrading.html



Restaurando o Gnote no tray (bandeja) tint2

Posted in Dicas by Fernando Basso on 17 de novembro de 2011

Restaurando o Gnote no tray (bandeja) tint2

Depois de um upgrade, o tint2 parou de aparacer no
systray do meu tint2. Eu uso arch linux com openbox + titn2
e o gnome-settings-daemon pra ajudar no look and feel.
Menciono isso porque o tint2 tem configurações que são
manipuladas pelo deconf.

Pesquisando, encontrei uma solução, que é usar a linha
de comando para mexer no gsettings e “setar” a variável
use-status-icon para true.


gsettings set org.gnome.gnote use-status-icon true

Essa opção pode ser habilitada através do dconf-editor
também.

Aqui está o link do local onde achei a dica de como restaurar
or ícone do gnote no systray:

Uma coisa que eu me pergunto é: por que esse tipo de opção
não está no “preferences” do próprio aplicativo? Sem contar que
me parce mais natural as pessoas que usam um aplicativo deste tipo
queiram ele lá no systray, pois assim é fácil ler ou adicionar novas
anotações ou lembretes. Que bom que há uma maneira (escondida) de
restaruar o ícone. :)

May the force be with you. Always.